LISBOA, Portugal – 24 de Março de 2020 – No sentido de fazer face às limitações de mobilidade das pessoas em território nacional, a Santos e Vale desenvolveu um serviço temporário para dar a possibilidade aos seus clientes de poderem enviar os produtos diretamente ao destinatário final com total segurança.

 

A ‘responsabilidade’ e a ‘solidariedade’ sempre fizeram e fazem parte do nosso ADN. Não podíamos deixar de apoiar os nossos clientes nesta fase tão difícil, em que a maior parte dos distribuidores e retalhistas estão fechados. Desta forma, os distribuidores podem vender online e os produtores enviar diretamente ao consumidor com total segurança, já que, seguimos todas as recomendações da DGS. Estamos em tempos de mudança de comportamento e método de compra, pelo que, temos que nos adaptar e acompanhar esta mudança.”, referiu Joaquim Vale, Administrador da Santos e Vale.

 

Com a maior parte dos pequenos negócios fechados e com os consumidores em casa e a utilizar o e-commerce como recurso para adquirir os produtos, a Santos e Vale vem agora dar resposta às compras mais difíceis, os envios até 50 quilos por volume.

 

Neste serviço estão incluídos frigoríficos, máquinas de lavar, televisores, mobiliário desmontado, entre todos os outros equipamentos que fazem parte das nossas casas e que por correio normal seriam impossíveis de receber.

 

A empresa afirma que em tempos difíceis, são necessárias medidas assertivas para que o mundo e a economia não parem, mas que as pessoas possam ficar em casa.

 

#FiqueEmCasa que #NósEntregamos é o lema deste serviço.

 

 

www.santosevale.pt

 

 

  • Empresas e particulares poderão ter acesso a moratória de crédito com carência de capital para operações de crédito em situação regular.

 

  • Banco reforça linhas de crédito pré-aprovadas a particulares.

 

  • Facilidades na utilização dos canais remotos para empresas e particulares.

 

O BPI anunciou hoje um novo pacote de medidas para apoiar as famílias e as empresas portuguesas, no quadro da crise gerada pela pandemia COVID-19. Para as empresas e particulares, o BPI está disponível para aceitar moratórias de crédito que permitam mitigar os impactos na economia das famílias e na atividade das empresas, de todos os setores de atividade.

 

I. APOIO ÀS EMPRESAS

A moratória de crédito para empresas prevista pelo Banco insere-se num conjunto alargado de iniciativas que o BPI tem vindo a pôr em prática e que incluem soluções de financiamento, nomeadamente a Linha Capitalizar 2018-COVID-19, isenções de comissões e mensalidades em TPA para comerciantes e o alargamento dos serviços nos canais digitais e automáticos. Essas medidas são as seguintes: 

 

  1. Moratória de Crédito

O BPI está disponível para conceder uma moratória de crédito para empresas, em articulação com as medidas que possam vir a ser estabelecidas pela União Europeia e pelo Estado Português.

A moratória prevista pelo BPI consistirá na concessão de uma carência de capital, acompanhada pela prorrogação do prazo da operação, até 1 ano, em operações de crédito regulares que se encontrem em período de reembolso, ou iniciem esse período em 2020.

Poderão solicitar esta facilidade os Clientes em situação regular afetados pela crise da pandemia COVID-19. Esta medida está isenta de comissões de alteração ou prorrogação e terá subjacente um processo de adesão muito rápido e simples, e em suporte digital.

 

  1. Operacionalização da Linha Capitalizar 2018-COVID-19

Com uma dotação global de 200 milhões de euros e o apoio do estado Português e das SGM, encontra-se já a ser dinamizada proactivamente pelo BPI junto dos Clientes mais afetados pelos efeitos económicos resultantes da pandemia.

 

  1. Isenções de comissões e mensalidades em TPA para comerciantes

O BPI eliminou a comissão mínima nas transações efetuadas nos Terminais de Pagamento Automático (TPA) para a facilitar a aceitação de pagamentos de baixo valor.

Decidiu igualmente suspender a cobrança da mensalidade dos TPA para comerciantes que encerrem a sua atividade por dificuldades temporárias. Esta isenção durará durante todo o período em que se mantenha o encerramento do estabelecimento.

 

  1. Alargamento dos serviços para empresas nos canais digitais e estímulo à utilização das zonas automáticas

O BPI está a flexibilizar as formas de adesão ao homebanking de Empresas – BPI Net Empresas – e alargar os serviços disponíveis nesse canal.

O Banco está também a promover a utilização de zonas automáticas para as operações realizadas nos Balcões e nos Centros de Empresas e Institucionais. O BPI dispõe de mais de 150 máquinas self-service em todo o país, que permitem aos Clientes realizar, de modo automático, um leque muito vasto de operações correntes, incluindo depósitos em cheque ou numerário, consultas, requisição de cheques e troco de notas por moedas.

 

  1. Cartão BPI Depósitos

Adicionalmente, o BPI disponibiliza o Cartão BPI Depósitos, que permite às empresas efetuarem depósitos nas zonas automáticas, com total flexibilidade, a qualquer hora do dia, protegendo os Clientes e os Colaboradores que realizam essas tarefas. Trata-se de um cartão gratuito, sem anuidade, e nesta fase foi simplificado o processo de adesão, mais rápido e passível de ser formalizado em suporte digital.

 

 II APOIO ÀS FAMÍLIAS

 

  1. Moratória de Crédito Habitação, Pessoal e Automóvel

O BPI está igualmente disponível para conceder uma moratória de crédito para os particulares condicionada às orientações das autoridades de supervisão e em articulação com as medidas que possam vir a ser estabelecidas pela União Europeia e pelo Estado Português. A moratória envolve o crédito à habitação e o crédito pessoal, incluindo o financiamento automóvel.

Verificadas as condições acima enunciadas, esta moratória estará disponível a pedido dos Clientes e consistirá na concessão de uma carência de capital, acompanhada de prorrogação do prazo da operação, até 6 meses, para operações de crédito regulares que se encontrem em período de reembolso, ou iniciem esse período em 2020.

Poderão solicitar esta facilidade os Clientes em situação regular afetados pela crise da pandemia da COVID-19. Esta medida está isenta de comissões de alteração ou prorrogação e tem subjacente um processo de adesão muito rápido e simples, e em suporte digital.

 

  1. Linhas de crédito a particulares  

Para permitir uma resposta rápida às necessidades dos Clientes, o BPI vai aumentar os montantes disponíveis de crédito pessoal pré-aprovado.

 

  1. Facilidade nas transações básicas a partir de casa

O BPI vai oferecer dois trimestres gratuitos nas novas adesões ao Pacote de Serviços básicos (Conta Valor, Conta Premier, Conta Commerce) que incluem todos os serviços necessários para fazer transações a partir de casa (Conta, Transações digitais e Cartões).

 

  1. Clientes que vejam afetados os seus salários pela crise da COVID-19

Aos Clientes que vejam os seus salários afetados pela crise da COVID-19, o BPI vai manter sem qualquer agravamento as condições dos seus pacotes básicos de serviços (Conta Valor) e do seu crédito habitação. No caso do crédito habitação, isto significa que as suas bonificações de spread não serão penalizadas.

 

  1. Alargamento dos serviços para os particulares nos canais digitais e estímulo à utilização das zonas automáticas

O BPI está a flexibilizar as formas de adesão dos particulares ao homebanking e alargar os serviços disponíveis nesse canal.

O Banco está também a promover a utilização de zonas automáticas para as operações realizadas nos Balcões. O BPI dispõe de mais de 150 máquinas self-service em todo o país, que permitem aos Clientes realizar, de modo automático, um leque muito vasto de operações correntes, incluindo depósitos em cheque ou numerário, consultas, requisição de cheques e troco de notas por moedas.

 

 

 

A EDP e a CTG vão comprar 50 ventiladores e 200 monitores médicos para disponibilizarem ao SNS. Equipamentos chegam a Portugal até ao final do mês, num investimento que ronda quatro milhões de euros.

 

O aumento da propagação do novo coronavírus em Portugal está a causar uma onda de solidariedade sem precedentes no país e nem as grandes empresas escapam. A EDP e a chinesa China Three Gorges (CTG) foram ao mercado comprar ventiladores, monitores médicos e equipamentos de suporte, por forma a ajudar a combater a epidemia. O investimento ronda os quatro milhões de euros.

 A EDP e a CTG, em coordenação com o Ministério da Saúde e com o apoio da Embaixada de Portugal em Pequim, adquiriram 50 ventiladores e 200 monitores médicos, bem como respetivos consumíveis e equipamentos de suporte associados, num total de cerca de 4 milhões de euros“, lê-se no comunicado divulgado esta quinta-feira pela EDP.

Estes equipamentos médicos “decisivos” para tratar as pessoas infetadas por Covid-19, vão estar disponíveis “para transporte no próximo dia 27 de março, prevendo-se que cheguem a Portugal no final do mês”, esclarece a nota da empresa liderada por António Mexia. Depois disso, serão imediatamente disponibilizados ao Ministério da Saúde para tratar os doentes.

 

Em entrevista à SIC Notícias, o primeiro-ministro tinha referido que Portugal tinha 1.142 ventiladores, mas referiu que “não estão todos disponíveis” para a pandemia porque há outras necessidades. Apesar de garantir que o país não tem “nenhuma carência de ventiladores”, António Costa adiantou que “está a ser feito um reforço na previsão do pior dos cenários”.

Além destes 1.142 equipamentos, o secretário de Estado da Saúde disse na terça-feira que foram pedidos 250 ventiladores ao setor privado, acrescentando também que a tutela vai estudar com o ministério da Defesa a utilização de equipamentos do exército.

Várias têm sido as empresas a ceder estes equipamentos ao Serviço Nacional de Saúde. O Grupo Mello Saúde, dono da CUF, disponibilizou 50 ventiladores ao setor público. Também o Grupo Lusíadas Saúde anunciou que vai disponibilizar 231 camas de internamento, 54 ventiladores e as respetivas equipas de saúde.

Esta quinta-feira, a Direção Geral de Saúde confirmou a existência de 143 novos casos de Covid-19 em Portugal, de 642 para 785 o total de casos confirmados da doença. Número de vítimas mortais aumentou para três.

 

Jornal ECCO, 19-03-2020

 

 

Devido à atual situação gerada pela epidemia COVID-19, a CCILE decidiu adotar algumas medidas com vista a zelar pela segurança de todos os colaboradores, fornecedores, clientes e associados.

Assim, informamos que os escritórios físicos da CCILE estão encerrados desde do dia 16 de março de 2020, por tempo indefinido.

 

De qualquer forma, todos os colaboradores da CCILE encontram-se a trabalhar remotamente, de forma a assegurarmos todas as atividades necessárias nesta fase. Assim, estamos apenas à distância de um e-mail e encontramo-nos disponíveis para dar resposta às habituais situações do nosso dia-a-dia profissional.

 

Acreditamos que, com a colaboração de todos, conseguiremos regressar à normalidade o mais depressa possível.

 

 

A Fintech House abre portas com startups e parceiros para fomentar a inovação tecnológica e financeira

 

BBVA reforça o seu compromisso com o ecossistema fintech português com a presença na Fintech House, um hub internacional a partir de Portugal, numa uma parceria com a Portugal Fintech.

O BBVA é a partir de hoje o banco parceiro da vertical de banca, onde desenvolverá o seu trabalho de inovação aberta. 

Fintech House – “Where fintech lives”, é um espaço dedicado ao desenvolvimento do ecossistema fintech. A “Casa” sediada no Palácio das Varandas junta mais de 30 startups numa estreita relação com toda a comunidade. 

Situada no Palácio das Varandas, na Praça da Alegria n22, o edifício histórico do século XIX no centro da cidade de Lisboa, está otimizado para fomentar a proximidade e colaboração entre todos os membros envolvidos. Conta com um piso dedicado ao networking, reuniões e encontros, prometendo o auditório receber os melhores eventos da indústria. Os restantes quatro pisos dividem-se entre escritórios privados e espaços de co-work com capacidade para 170 pessoas com uma ocupação de 65% à data.

  

Sobre a Fintech House

O projeto nasce da colaboração entre a Associação Portugal Fintech e a rede de Co-workings Sitio, combinando assim a experiência da criação de mais de 10 espaços de trabalho pelo país e o conhecimento de um “community builder”para dar às startups um sítio onde têm todas as condições para crescer o mais rapidamente possível. O espaço tem a visão de criar em Portugal um Hub internacional para o desenvolvimento de startups nas áreas de Fintech, Insurtech, Regtech e Cybersecurity, sendo o local onde a inovação nos sectores tecnológicos e financeiros acontece.

 

O NOVO BANCO, dando continuidade ao seu total comprometimento com o tecido empresarial nacional, vem demonstrar toda a sua disponibilidade em apoiar as empresas cuja atividade se encontra afetada pelos efeitos económicos resultantes do surto de Covid-19.

Em articulação com o Governo e com o Sistema Nacional de Garantia Mútua, foi criada a Linha de Crédito Capitalizar 2018 - Covid-19 destinada ao financiamento das necessidades de fundo de maneio e de tesouraria das empresas, procurando assim atenuar as contingências financeiras associados a este surto.

O NOVO BANCO, enquanto Instituição Financeira aderente a esta importante iniciativa do Estado, manifesta desde já toda a disponibilidade e interesse em analisar as necessidades de financiamento que a sua empresa entenda como relevantes.

Como habitualmente, as equipas comerciais do NOVO BANCO estão disponíveis para prestar todas as informações e esclarecimentos necessários.

 

Pai é Pai 365 dias por ano, mas dia 19 de Março é um bom dia para celebrarem juntos. É uma oportunidade para brindar a uma relação essencial, fazer um programa único e... surpreender uma das pessoas mais importantes da sua vida.

No El Corte Inglés, encontra as melhores sugestões de presentes em Moda, Perfumaria, Desporto, Tecnologia, Livros... Tudo para tornar o Dia do Pai ainda mais especial.

Visite-nos nas Lojas de Lisboa e Gaia-Porto ou em elcorteingles.pt.

 

Pavnext, é o nome do projeto português apurado para a semifinal da 3.ª Edição dos Prémios Fundação MAPFRE para a Inovação Social.

Francisco Duarte é o responsável pela Pavnext, um dispositivo que se instala na própria estrada e que faz com que os veículos reduzam a velocidade automaticamente. O objetivo é reduzir o número de atropelamentos nas estradas combinando a segurança rodoviária e a eficiência energética, uma vez que esta tecnologia capta a energia cinética com a passagem dos automóveis, transformando-a em energia elétrica.

                               

 

O projeto foi selecionado entre mais de 200 projetos provenientes de 26 países e que vão competir no próximo dia 4 de julho, em Madrid, na semifinal europeia.

No próximo dia 4 de julho, em Madrid, será a semifinal europeia dos Prémios, depois das semifinais no Brasil e México no mês de junho. Investigadores, empreendedores, científicos e estudantes de universidades provenientes de Portugal, Espanha, Dinamarca, Luxemburgo e Reino Unidos vão defender os seus projetos/inovações diante um jurado formado por profissionais da Fundação MAPFRE e do IE Business School, entidade que colabora nos Prémios.

O objetivo de todos os que participam é chegar à final, que terá lugar no dia 10 de outubro em Madrid e que reunirá também os projetos vencedores do Brasil e restante LATAM.

 

PRÉMIOS FUNDAÇÃO MAPFRE PARA A INOVAÇÃO SOCIAL

A 2.ª Edição dos Prémios Fundação MAPFRE para a Inovação Social procura apoiar soluções inovadoras com grande potencial e impacto social, bem como representar um impulso diferenciador. Dividem-se em três áreas: e-Health (melhorar a saúde e tecnologia digital), Insurtech (inovação nos seguros) e Mobility (mobilidade e segurança rodoviária). Foram recebidos 230 projetos de 26 países e foram selecionadas as iniciativas mais inovadoras e que oferecem as melhores soluções para os problemas reais que afetam diariamente milhões de pessoas na nossa sociedade.

 

 

Já se encontra nas bancas a edição de março da revista Actualidad€ Economia Ibérica, que tem como grande tema Joana Vasconcelos: criadora, empresária, “embaixadora” de Portugal". Esta fala de toda a sua vida profissional e como ela têm evoluído.

Uma grande entrevista ao novo Embaixador de Portugal em Espanha, João Mira-Gomes, que salienta que “ Gostava muito de ter um comboio de alta velocidade Lisboa-Madrid”.

Na parte dos eventos, veja tudo sobre o último almoço de empresários que contou com a presença do Ministro dos Negócios Estrangeiros, Prof. Doutor Augusto Santos Silva. O ministro realçou que é urgente uma “ concertação entre Portugal e Espanha, sobretudo ao nível da agenda da União Europeia, numa fase decisiva das negociações sobre o novo Quadro Comunitário de Financiamento, mas também a nível da ação climática.

 

Isto e muito mais na Revista Actualidad€! 

Gostaria de receber a revista em sua casa? http://bit.ly/2EwKpSg

 

A Câmara de Comércio e Indústria Luso-Espanhola realizou um Almoço de Empresários, no passado dia 19 de fevereiro de 2020,  no Hotel InterContinental, em Lisboa,  com a presença, como Convidado de Honra, do Exmo. Senhor Ministro dos Negócios Estrangeiros Prof. Doutor Augusto Santos Silva.

 

Além da honra de contar com a presença desta prestigiada Individualidade da vida económica, o nosso convidado durante o almoço fez uma intervenção onde abordou temas de atualidade de grande interesse.

 

 

 

 

EDP Ventures investiu mais de 6 milhões de euros em 2019, num total de 16 operações realizadas em startups de cinco países. Redes elétricas inteligentes e inovação digital foram as áreas de maior aposta.

 

A EDP Ventures, o braço de Venture Capital da EDP, fechou o ano de 2019 com um investimento de mais de 6 milhões de euros, num total de 16 operações concretizadas em startups de cinco países: Portugal, Espanha, Holanda, Brasil e Israel. É o maior valor de sempre investido pela empresa num único ano.

 

A fechar 2019, a EDP Ventures concluiu investimentos em novas startups nas áreas da inovação digital, mobilidade elétrica e redes inteligentes.

 

A Energyworx, startup holandesa de gestão de dados que apoia as empresas de serviços públicos nos processos de transição energética, recebeu financiamento para ganhar escala e acelerar o crescimento internacional nos Estados Unidos da América e na Europa. Também a Net2Grid, startup de análise de dados igualmente sedeada na Holanda, recebeu investimento da EDP Ventures. A empresa desenvolveu uma tecnologia que permite aos clientes das utilities receber informação em tempo real sobre o consumo de energia dos seus equipamentos.

 

As portuguesas Effizency (antiga Save2Compete), Drivit e Hypelabs também receberam financiamento da EDP Ventures em 2019, as duas últimas em co-investimento com a Instituição Financeira de Desenvolvimento (IFD). A Effizency, que resultou de um spin-off do Grupo EDP, criou uma solução tecnológica para as utilities ajudarem as PME a reduzir a fatura da energia através da adoção de soluções de eficiência energética. Já a Drivit desenvolveu uma app telemática para ajudar empresas e condutores a determinar o seu estilo de condução e comportamento padrão, permitindo, entre outras aplicações, o mapeamento de viagens ou a determinação de perfis mais propícios a utilizar um veículo elétrico. Por fim, a Hypelabs desenvolveu um SDK (software development kit) que permite a comunicação entre diversos dispositivos sem recurso à internet, através de uma rede mesh, aplicável a todo o tipo de objetos e a qualquer sistema operativo.

 

O ano de 2019 ficou também marcado pelo primeiro exit realizado a 100% na Presenso, startup israelita que desenvolveu uma solução de machine learning para manutenção preditiva de ativos, ferramenta essencial para empresas como a EDP, cujos ativos, quando parados para manutenção, representam perdas significativas.

 

O último ano serviu ainda para consolidar a atividade da equipa de investimentos no Brasil (recém-criada em 2018), com a concretização de três novos investimentos em empresas locais: a Dom Rock, empresa que desenvolveu uma plataforma para, com recurso a inteligência artificial, capturar e analisar dados não estruturados; a Fractal, empresa de inteligência artificial para gestão de recursos hidrológicos; e a Voltbrás, startup que desenvolveu uma plataforma de recarga de veículos elétricos.

Para Luís Manuel, administrador da EDP Ventures, 2019 foi muito positivo, não apenas pelo facto de a EDP Ventures ter alcançado um valor de investimento recorde, mas também pela qualidade e pelo potencial das startups nas quais a empresa investiu.

 

“Foi um ano excelente ao nível da nossa atividade de investimentos. Temos mais oito startups portuguesas no portefólio, o que demonstra a qualidade do ecossistema nacional e a aposta contínua da EDP. Iniciámos a atividade de investimento com equipa local dedicada no Brasil e lançámos as bases para fazer o mesmo em Espanha a partir de 2020. E fizemo-lo sem prejudicar a vocação global da EDP Ventures, como demonstra a origem de diversas startups do nosso portefólio. Realizámos ainda o nosso primeiro exit, que permitiu um retorno financeiro bastante atrativo. Não menos importante, 2019 foi o ano em que melhores resultados tivemos ao nível do estabelecimento de relações de negócio entre as startups e as unidades de negócio da EDP, contribuindo para o seu sucesso, o que nos deixa muito satisfeitos, uma vez que esse é um dos objetivos estratégicos da EDP Ventures”, explica Luís Manuel.

 

Em 2020, a EDP Ventures pretende lançar um veículo de investimento em Espanha em colaboração com entidades públicas nacionais e regionais e tem 5 milhões de euros para alocar aos melhores projetos. Neste âmbito, já estão fechados acordos para o desenvolvimento de parcerias com o Centro para o Desenvolvimento Tecnológico Industrial (CDTI) e o Governo regional das Astúrias para co-investimento.

 

O ano de 2020 continuará a ser marcado pelo acompanhamento e desenvolvimento das empresas investidas, sendo que o portefólio de investimento apresenta atualmente interessantes perspetivas de crescimento e valorização no curto prazo, com novas rondas de financiamento em discussão e preparação.

 

As áreas prioritárias para investimento estão alinhadas com o negócio do grupo EDP e dividem-se entre energias limpas, soluções de armazenamento de energia, redes inteligentes, inovação digital e soluções ligadas aos clientes. Desde que foi criada em 2008, a EDP Ventures já investiu mais de 36 milhões de euros em 34 startups.


Está a chegar o Carnaval. Aquela altura do ano em que as ruas se animam com os tradicionais desfiles e as pessoas dão asas à imaginação, mascarando-se com as mais diversas fantasias.

Para a diversão ser total, o El Corte Inglés disponibiliza uma grande seleção de disfarces para crianças e adultos, acessórios, maquilhagem... Tudo para ser o rei ou a rainha deste Carnaval.

Conheça as nossas opções nas nossas lojas de Lisboa e Gaia-Porto ou em www.elcortingles.pt.

 

O melhor Banco de Trade Finance, em Portugal,

 apoia as exportações do setor agroalimentar

  

 

No ano em que o SISAB completa 25 edições, o NOVO BANCO vai estar novamente presente neste importante certame que se realiza, de 2 a 4 de março, no Altice Arena, em Lisboa.

 

O NOVO BANCO, distinguido pelo segundo ano consecutivo como o Best Trade Finance Provider, em Portugal (*), pela revista internacional “Global Finance”, é o banco melhor posicionado na apresentação de soluções inovadoras na área de trade finance às empresas nacionais e, no caso concreto, para apoio às exportações do setor agroalimentar.

As equipas de especialistas de Negócio Internacional e os gerentes de empresas estarão disponíveis no stand do NOVO BANCO para prestar todo o suporte necessário às empresas presentes no SISAB, para a melhor concretização dos seus negócios.

 

A fileira do agroalimentar tem assumido, cada vez mais, um lugar de destaque na economia nacional, em especial na última década.

O forte dinamismo e o elevado nível de competitividade registados neste setor, a qualidade dos seus produtos e o acompanhar das tendências mundiais, são alguns dos fatores responsáveis pelo crescimento exponencial das suas exportações na última década.

O SISAB tem tido um papel essencial neste crescimento da vertente exportadora, possibilitando às empresas nacionais divulgar os seus melhores produtos e serviços junto dos mais importantes importadores da indústria agroalimentar dos cinco continentes, potenciando o networking e os negócios.

 

 

 

(*) Este prémio é da exclusiva responsabilidade da entidade que o atribuiu.

 

  • É a única petrolífera presente no encontro;

 

  • Conceito StarRessa estará em destaque.

 

 

A Cepsa marca presença na XIV Convenção Nacional da Associação Rodoviária de Transportes Pesados de Passageiros (ARP), que se realiza a 8 e 9 de fevereiro, no Hotel MH Atlântico, em Atouguia da Baleia, Peniche. Alinhada com o tema deste ano, "Alta performance nos transportes", a Cepsa faz-se representar através de um stand e com uma apresentação sobre as Portagens Eletrónicas Dual e Trio e sobre os cartões StarRessa.

 

“Usamos o palco dado pela nossa parceria com a ARP para reforçar a nossa aposta no setor profissional, oferecendo uma gama de produtos e serviços completa”, refere Marco Oliveira, responsável de Transporte Internacional da Cepsa. O StarRessa, um serviço que se destaca em toda a amplitude do mundo do transporte profissional, será o tema central da participação da Cepsa neste evento. Mais do que cartões, o conceito passa um conjunto amplo de soluções, válidas não só para a rede mas também para outros países da Europa, resolvendo as necessidades destes profissionais no decorrer das viagens.

 

Em destaque, estará o DUAL,  para pagamento de portagens em Portugal, Espanha e França e o dispositivo Trio, para pagamento de portagens em Portugal, Espanha, França, Itália, Áustria e Polónia bem como os cartões StarRessa e StarRessa Eurotrafic, para pagamento de gasóleo na Península Ibérica e resto da Europa, que permitem ainda descontos em combustível, assistência na estrada e ajuda na gestão, através de faturação eletrónica.

 

StarRessa tem soluções de portagens para vários países da Europa, permite a devolução do IVA internacional, descontos em combustível, assistência na estrada, ajuda na gestão, através da faturação eletrónica. Entre outras funcionalidades, o StarRessa facilita o trabalho dos profissionais dos transportes de passageiros.

 

O transporte de passageiros é um setor que assume cada vez mais importância, como mostram os dados do Cepsa Energy Outlook 2030, um estudo que analisa as tendências e modelos socioeconómicos do mundo para explicar como será o mapa energético do futuro em Portugal. E que confirma que, dentro do plano estratégico de transportes, a transferência do transporte individual para o transporte coletivo é um objetivo nacional a médio e longo prazo.

 

 

A Cepsa é uma Companhia Energética Global, que opera de modo integrado em todas fases da cadeia de valor dos hidrocarbonetos, para além de fabricar produtos a partir de matérias-primas de origem vegetal e de estar presente no setor das energias renováveis. Tem mais de 90 anos de experiência e uma equipa de cerca de 10.000 profissionais com grande excelência técnica e capacidade de adaptação. Está presente em todos os cinco continentes através das suas áreas de negócio de Exploração e Produção, Refinação, Petroquímica, Marketing, Gás e Eletricidade e Trading.

Visite: www.cepsa.pt

 

 

Campanha nacional apoia comunidades locais e oferece 25.000€ em seguros

 

“Segurar Um é Segurar Todos”, serve de claim para a campanha de comunicação com vertente solidária que vai marcar presença, de norte a sul do país, em todas as lojas da seguradora durante o ano de 2020, com o objetivo de apoiar 25 associações locais de solidariedade.

“Neste momento dispomos de 100 lojas em todo o território nacional e esta campanha representa também o esforço que temos vindo a desenvolver na consolidação de uma relação de proximidade com os nossos clientes e com as comunidades locais”, refere Luís Anula, CEO da MAPFRE em Portugal.

Com criatividade da agência FunnyHow, a campanha “Segurar Um é Segurar Todos” pretende apoiar diversas instituições nacionais, entre as quais a Associação Focinhos e Bigodes, em Lisboa, a Associação dos Albergues Noturnos do Porto, a Associação Amicus Canis (AMICA), em Bragança, entre muitas outras, oferecendo 25.000 € até um valor de 1.000 € por associação.  

A campanha é especialmente direcionada para as populações locais, uma vez que usa como suporte todas as lojas da MAPFRE a nível nacional e os protagonistas são clientes, voluntários e colaboradores das instituições, procurando apoiar as dificuldades e necessidades das associações locais do terceiro sector e contribuindo activamente para o seu desenvolvimento.

Esta iniciativa vem reafirmar o posicionamento da seguradora enquanto companhia próxima, socialmente comprometida e solidária, o que, dada a sua origem mutualista, vai ao encontro do ADN da marca MAPFRE e da cultura da empresa.

 

Sobre a MAPFRE Seguros:

Em Portugal desde 1986, a MAPFRE Seguros possui uma rede de 100 lojas em todo o País. A nível internacional, a MAPFRE é a maior seguradora espanhola do mundo, a o terceiro maior grupo segurador na América Latina e líderes em Não Vida na região. Com 29 milhões de clientes, emprega 35 mil colaboradores nos cinco continentes em que opera, tendo atingido em 2018 cerca de 27 mil milhões de euros de receitas, com um lucro líquido de aproximadamente de 529 milhões de euros.

Para mais informações, consulte www.mapfre.pt.

 

Já se encontra nas bancas a edição de fevereiro da revista Actualidad€ Economia Ibérica, que tem como grande tema "Andaluzia procura dinâmica da inovação", e também onde pode ler sobre o evento do passado dia 15 de janeiro, o Forum Empresarial Andaluzia Portugal-2020, que contou com a presença de empresas espanholas e portuguesas.

A grande entrevista desta edição é a João Cristina, diretor-geral em Portugal da Merlin Properties, em que fala dos projetos da empresa a curto e médio prazo em território português e quais são os mais relevantes realizados em Espanha.

 

Isto e muito mais na Revista Actualidad€! 

Gostaria de receber a revista em sua casa? http://bit.ly/2EwKpSg

O NOVO BANCO foi mais uma vez eleito o melhor banco na área de Trade Finance, em Portugal, no ano de 2020 (*), pela revista internacional “Global Finance”.

Os editores desta revista, bem como os analistas do setor, gestores de empresas e especialistas em tecnologias da informação, selecionaram os melhores bancos que prestam serviços na área do Trade Finance em 97 países e 8 regiões dos Estados Unidos da América. A seleção contemplou, entre outros critérios, o volume de transações, o serviço ao cliente, a inovação tecnológica assim como o preçário competitivo.

 

O Trade Finance está a viver um momento de transição, impulsionado pelo aparecimento de novas tecnologias, que colocam desafios à capacidade de adaptação de todos os agentes económicos. Foram distinguidos os bancos que se encontram melhor posicionados na apresentação de soluções inovadoras aos seus clientes, bem como na transmissão de informação e conhecimentos resultantes do acompanhamento das tendências globais sobre o comércio e respetivo financiamento.

 

Este prémio, para além de reforçar o papel do NOVO BANCO no apoio à atividade das Empresas, representa o reconhecimento internacional das competências do Banco nesta importante vertente de negócio onde é disponibilizada uma vasta oferta de produtos e uma equipa especializada que potencia o sucesso das operações de comércio internacional e dá o apoio necessário á exportação.

 

A revista Global Finance, fundada em 1987, tem uma tiragem de 50.050 exemplares, com leitores em 188 países.

 

(*) Este prémio é da exclusiva responsabilidade da entidade que o atribuiu.

 

 

SALDOS 50% DESPORTO 

Até 26 de Janeiro tudo com 50% de desconto numa grande selecção de marcas, adidas, Nike, Puma, Under Armour…

Saldos do El Corte Inglés. 

Este ano sei que sim!

 

SALDOS 20% ADICIONAL 

Até 29 de Janeiro, 20% de desconto adicional em centenas de marcas de moda, sapataria e acessórios.

Saldos do El Corte Inglés.

Este ano sei que sim!

 

  • Campanha multimeios decorre até 23 de fevereiro

  

A Cepsa Portuguesa acaba de lançar a campanha “Por Ti”, o seu principal acontecimento de comunicação para 2020. A campanha multimeios de grande dimensão, terá uma duração de seis semanas e coloca a música como elemento central da comunicação da Cepsa, já que toda a campanha será acompanhada por uma canção criada para este momento que traduz a atitude da marca perante os seus consumidores: tudo o que a Cepsa faz, é pelos seus clientes e pela satisfação das suas necessidades energéticas.

 

Para sublinhar a ligação à música, o arranque aconteceu no domingo, na final do The Voice, na RTP 1, no qual foi emitido, pela primeira vez, o spot da campanha e em que os cinco finalistas do programa interpretaram a canção da campanha, cuja mensagem principal é “Na Cepsa colocamos toda a nossa energia em ti”.

Com esta ação, que dura até 23 de fevereiro, a Cepsa pretende reforçar a sua posição como marca de referência no setor da energia e a proximidade com o consumidor português, que já conhece há mais de 55 anos. Esta campanha valoriza a dimensão global da Cepsa e a diversidade da sua oferta comercial com as quais, cobre as necessidades energéticas do cliente particular; nomeadamente, na qualidade dos seus combustíveis, na excelência do seu serviço, na segurança e baixo peso das suas garrafas de Gás e na alta tecnologia aplicada à fabricação dos seus Lubrificantes.

 

A campanha, estará presente em diversos meios: em televisão (RTP, SIC, SIC Notícias, TVI e TVI 24); em rádio (Cidade, M80, Mega Hits, Comercial, Renascença e RFM); redes de mupis e digital (presença em formatos não vídeo, display programatics e na plataforma de search da Google) e também em Redes Sociais.

 

 

A Cepsa é uma Companhia Energética Global, que opera de modo integrado em todas fases da cadeia de valor dos hidrocarbonetos, para além de fabricar produtos a partir de matérias-primas de origem vegetal e de estar presente no setor das energias renováveis. Tem mais de 90 anos de experiência e uma equipa de cerca de 10.000 profissionais com grande excelência técnica e capacidade de adaptação. Está presente em todos os cinco continentes através das suas áreas de negócio de Exploração e Produção, Refinação, Petroquímica, Marketing, Gás e Eletricidade e Trading.

 

 

Visite: www.cepsa.pt

 

As centrais hídricas em processo de alienação totalizam 1.689 megawatts de capacidade instalada e localizam-se na bacia hidrográfica do rio Douro. A transação tem como objectivo “a optimização do portefólio, reduzindo a exposição à volatilidade hídrica e de preço de mercado”, referiu a energética.

A EDP – Energias de Portugal, S.A anunciou esta quinta-feira que acordou a venda de um portefólio de seis centrais hídricas em Portugal ao consórcio de investidores formado pela Engie (participação de 40%), Crédit Agricole
Assurances (35%) e Mirova – Grupo Natixis (25%), numa transação de 2,2 mil milhões de euros.

 

As centrais hídricas em processo de alienação totalizam 1.689 MW de capacidade instalada e localizam-se na bacia hidrográfica do rio Douro, nomeadamente, três centrais de fio de água (Miranda, Bemposta e Picote) com 1,2 gigawatts (GW) de capacidade instalada e  três centrais de albufeira com bombagem (Foz Tua, Baixo Sabor e Feiticeiro) com 0,5 GW de capacidade instalada, informou a EDP, em comunicado divulgado no site da CMVM.

 

O valor da transacção acordado representa um enterprise value de 2.210 milhões (com o equity value sujeito a ajustamentos até à conclusão da operação). Em 2018, ano em que o índice de produtividade hidroelétrica em Portugal foi de 1,05x, o EBITDA deste conjunto de activos ascendeu a 154 milhões milhões, acrescentou.

A conclusão da transacção está prevista para o segundo semestre de 2020, estando ainda pendente das aprovações societárias e regulatórias aplicáveis, acrescentou.

 

A energética liderada por António Mexia sublinhou que a transação tem como objectivo “a optimização do portefólio, reduzindo a exposição à volatilidade hídrica e de preço de mercado, reforçando o perfil de baixo risco do negócio e o nível de “endividamento.

“Esta transação, combinada com uma forte visibilidade do nosso plano de crescimento em renováveis para 2019-22
(mais de 70% capacidade assegurada através de contractos de longo-prazo), contribuem de forma decisiva para a execução do Plano Estratégico 2019-22 apresentado em março de 2019”, vincou.

A EDP recordou que nos últimos 12 anos executou um plano de construção e repotenciação de centrais hídricas em Portugal, aumentando a sua capacidade instalada no país em 2,6 GW.

“Após esta transacção, a EDP manterá a sua posição de liderança em Portugal, com uma capacidade de geração hídrica instalada de 5,1 GW e continuará a ser o segundo maior operador hídrico na Península Ibérica”, concluiu.

Na bolsa de Lisboa, as ações da EDP sobem 0,95% para 3,811 euros, numa sessão em que o índice PSI 20 negoceia ‘flat’ nos 5.201,03 pontos.

A 12 de março, no Strategic Update apresentado em Londres, a EDP informou que prevê arrecadar um total de seis mil milhões de euros até 2022 com a venda de ativos, incluindo dois mil milhões de euros através da venda de ativos ibéricos, como centrais térmicas.

Os restantes quatro mil milhões vão ser encaixados através da venda de participações maioritárias nos seus projetos. A venda destas participações vai ser feita nos projetos de energia renovável: a meta é vender 50% da capacidade total de 7 gigawatts da EDP Renováveis, a uma média de 1,8 gigawatts por ano.

A 21 de maio anunciou que fechou uma parceria com os franceses da Engie para as energias renováveis. A parceria vai contemplar a área da energia eólica offshore, as centrais marítimas que produzem eletricidade a partir do vento.

Nessa altura, a EDP disse que a parceria, que irá estar operacional até ao final de 2019, para será controlada em partes iguais (50/50) no segmento eólico offshore, fixo e flutuante.

A nova entidade será o veículo exclusivo de investimento da EDP, através da sua subsidiária detida em 82,6%, EDPR, e da ENGIE para oportunidades eólicas offshore em todo o mundo e passará a ser um dos cinco maiores operadores de offshore a nível global na área, combinando a competência industrial e a capacidade de desenvolvimento das duas empresas”, anuncia a companhia presidida por António Mexia.

 

A conferência, que se realizou-se recentemente em Madrid, teve como um dos patrocinadores ouro a MAPFRE. Neste sentido, a companhia realizou várias ações para destacar o seu compromisso com o tema das mudanças climáticas e a proteção ambiental, bem como a sensibilização da sociedade sobre a importância de desenvolver soluções.

“Chegou a hora de agir!” foi o mote do Presidente da MAPFRE, Antonio Huertas, que participou ativamente nas suas redes sociais com mensagens claras de apelo à ação e acrescentou que “as empresas globais têm um papel fundamental no que diz respeito às mudanças climáticas”. O responsável da seguradora participou também no InsuResilience Global Partnership Forum, onde foi analisado o impacto das mudanças climáticas, a perspetiva das seguradoras como investidores institucionais, o papel dos seguros na ajuda à reconstrução e a sua função complementar às instituições públicas.

Paralelamente, foi lançado o documentário promovido pela MAPFRE “Los Niños de Maria”, com o objetivo de contar a história da reconstrução de Porto Rico depois da passagem do Furacão Maria, que devastou o território em 2017.

Até 2021 as operações de todas as entidades MAPFRE, com sede em Espanha e Portugal, serão neutras em carbono, o que representa uma redução de 61% das emissões atuais do Grupo e reduzir-se-á o investimento em empresas de energia elétrica, em que mais de 30% da receita seja proveniente de energia produzida a partir de carvão.

A sustentabilidade e a proteção ambiental são temas com grande importância para a MAPFRE, sendo que o Grupo já se diferencia pelo seu compromisso social há mais de 80 anos.

 

 

A Câmara de Comércio e Indústria Luso-Espanhola realizou um Almoço de Empresários, no passado dia 29 de novembro de 2019, às 12h45, no Hotel InterContinental, Rua Castilho, nº 149,  em Lisboa,  com a presença, como Convidado de Honra, do Exmo. Senhor Ministro do Planeamento, Dr. Nelson de Souza.

Além da honra de contar com a presença desta prestigiada Individualidade da vida económica, o nosso convidado durante o almoço fez uma intervenção onde abordou temas de atualidade de grande interesse.

Poderá ver mais detalhes deste almoço na próxima edição de janeiro, da nossa revista Actualidad€.

 

Cepsa promove um Natal 10 vezes mais Feliz

 

 

 

  • Cepsa sorteia 10 vales de um ano de combustível gratuito na sua campanha de Natal

 

O Natal chega mais cedo com a Cepsa que traz, até dia 08 de janeiro,

a campanha “Um Natal 10 vezes mais Feliz”.   

 

Esta Campanha, que será comunicada nos postos de abastecimento, rádio,redes sociais,

em digital e caixas multibanco, irá sortear 10 prémios de 1 ano de combustível grátis.

 

Será ainda sorteado um cabaz de natal em cada posto de abastecimento .

 

Após abastecimento de um valor igual ou superior a 30€ em qualquer combustível,

e ao apresentarem o Cartão Porque EU Volto, os clientes estão automaticamente a

concorrer aos dois sorteios: cabaz de natal e sorteio de 1000€ em combustível.

 

Porque EU Volto é o programa de fidelização Cepsa com o qual os clientes

acumulam pontos-desconto cada vez que abastecem, compram

produtos ou adquirem serviços nos postos de abastecimento da rede.

 

 

A Cepsa é uma empresa global de energia, que opera de forma integrada em todas as fases da cadeia de valor dos hidrocarbonetos, para além de fabricar produtos de matérias-primas de origem vegetal e ter presença no setor de energias renováveis. Possui 90 anos de experiência e uma equipa de quase 10.000 profissionais, com excelência técnica e capacidade de adaptação. Está presente nos cinco continentes através das suas áreas de negócio de Exploração e Produção, Refino, Química, Comercialização, Gás e Eletricidade e Trading.

 

Prevê-se que o crescimento do PIB português seja algo superior ao previsto há uns meses, podendo chegar aos 1,9% em 2019 (2 décimas acima do previsto anteriormente) e aos 1,7% em 2020. A revisão em alta explica-se pela revisão histórica dos dados de atividade realizada pelo INE e pela tendência positiva demonstrada por alguns componentes da procura, embora a deterioração do contexto internacional represente um risco para o cenário.

 

Observatório completo em:

https://www.bbvaresearch.com/publicaciones/portugal-la-recuperacion-continua-pero-a-tasas-mas-moderadas/

Tuesday the 31st. Câmara de Comércio e Industria Luso Espanhola © 2017 - Joomla Site Templates